Afrobasket’2021: Selecção de Cabo Verde está concentrada em sistema de bolha para os trabalhos da Tunísia

Cidade da Praia, 03 Fev. (Inforpress) – A selecção cabo-verdiana de basquetebol está confinada em sistema de bolha no pavilhão do Tarrafal nos trabalhos da segunda e última fase de preparação para a etapa final do torneio de qualificação para o Afrobasket’2021, na Tunísia.

Segundo o seleccionador cabo-verdiano, Emanuel “Mané” Trovoada, o combinado cabo-verdiano, trabalha de forma parcial com um misto de atletas residentes e que envergam alguns clubes estrangeiros, confinados no sistema de bolha no Pavilhão do Tarrafal, onde os seleccionados partem directamente para a Tunísia.

Já os atletas que ainda se encontram no estrangeiro em competição nos seus clubes estão submetidos a treinos à distância, uma vez que só se juntam à comitiva crioula na Tunísia.

Contrariamente à primeira fase, realizada na Cidade da Praia, em que os “jogadores iam para casa após os treinos com responsabilidade individual e testes semanais”, deste feita, nesta segunda fase, ficam confinados de modo a saírem desta bolha directamente para o aeroporto da Praia a 13 do corrente com destino à Tunísia.

Trovoada enalteceu os esforços envidados pelo Instituto do Desporto e da Juventude, Federação Cabo-verdiana de Basquetebol e a Câmara Municipal do Tarrafal de Santiago pelas condições criadas pela realização deste estágio decisivo, alegando que hoje em dia o novo coronavírus funciona também como um adversário a se ter em conta.

Em relação aos atletas com os quais trabalha nesta etapa, Trovoada destacou o esforço de todos os jogadores, por entender que a luta para a integração da lista definitiva para Tunísia vai ser renhida, dada a réplica com que os atletas mais novos “e com muita qualidade”, estão a pressionar os habituais convocados, em busca de uma oportunidade.

O timoneiro cabo-verdiano disse que o combinado cabo-verdiano vai partir para a última fase de qualificação para o Afrobasket “com ideias bem claras”, já interiorizadas nos convocados, que estão convictos de que com mais jogadores, isto é os 12 em vez de apenas nove, Cabo Verde tem mais opção e mais chance de ganhar todos os três jogos.

A equipa crioula desloca-se à Tunísia para disputar a segunda fase de qualificação, estando classificada no terceiro lugar, com quatro pontos, mais um que Marrocos, e menos um que o Uganda e menos dois do que o líder Egipto, que foi o anfitrião na primeira fase da prova.

De momento tudo está em aberto já que se qualificam para a fase final do Afrobasket’2021 as três primeiras selecções de cada grupo.

Esta fase decisiva do torneio de qualificação do Grupo E para o Afrobasket Ruanda’2021 realiza-se de 17 a 21 do corrente em Monastir (Tunísia), país que também vai sediar os Grupo A (Tunísia, RD Congo, República Centro Africana e Madagáscar) e D (Nigéria, Sudão do Sul, Mali e Rwanda).

Já os jogos dos Grupos B (Senegal, Angola, Quénia, Moçambique) e C (Costa do Marfim, Camarões, Guiné Equatorial e Guiné Conacri) serão disputados de 17 a 21 do corrente em Yaoundé (Camarões).

SR/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos