Aeroporto do Sal dispõe de “novo e moderno” sistema de controlo biométrico automatizado (c/áudio)

Espargos, 19 Dez (Inforpress) – O Aeroporto Internacional Amílcar Cabral (AIAC), no Sal, dispõe de um “novo e moderno” sistema de controlo biométrico automatizado (eGates-fronteiras electrónicas), cuja apresentação pública realizou-se hoje, em acto presenciado pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

A implementação deste projecto de reforço da segurança aeroportuária e fronteiriça permite às fronteiras aéreas de Cabo Verde padrões “mais avançados de segurança”, e com “impacto directo” na redução do tempo de espera dos passageiros, contribuindo para “a valorização” de Cabo Verde enquanto País e destino turístico seguro.

No seu discurso de ocasião, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, referiu que Cabo Verde está na lista dos países “mais seguros do mundo” para turistas visitarem em 2021, sublinhando que para chegar a este ponto o Governo teve que “trabalhar duro”.

“É uma aposta na modernização dos nossos aeroportos e das nossas fronteiras, que passam a ser dotados com os padrões mais avançados de segurança e referenciados com as melhores práticas daquilo que existe no mundo”, concretizou, enfatizando que os eGates chegam no momento em que, devido à covid-19, “é importante” uma gestão optimizada da segurança fronteiriça.

“Garante a simplificação dos procedimentos de controlo e gestão equilibrada do binómio controlo de segurança/facilitação da circulação, com redução do tempo de espera, maior eficiência e crescente satisfação dos passageiros”, sublinhou.

Ulisses Correia e Silva reiterou que Cabo Verde ganha com o reforço da segurança aeroportuária e fronteiriça, já que aumenta o nível de segurança e confiança “fundamental” para o relançamento da economia.

“A concretização deste projecto acontece num momento em que apostamos forte na retoma da economia, particularmente do turismo”, finalizou, acentuando que a segurança tem sido prioridade do seu Governo, para garantir segurança dos cabo-verdianos e de todos que escolhem Cabo Verde como destino de férias, de investimento, de trabalho ou de residência.

No seu discurso, o presidente do conselho de administração da Empresa Nacional de Segurança Aérea (ASA), Jorge Benchimol, por seu lado, considerou que este passo é não só o reforço da segurança, mas tambéma introdução de “elementos de inovação” que projectam os aeroportos de Cabo Verde e toda a actividade de controlo fronteiriço num “patamar diferente”.

Jorge Benchimol lamentou, entretanto, o facto de o evento ter acontecido, “infelizmente” num aeroporto sem actividade, esperançado, porém, em dias melhores.

“Dias melhores virão, certamente. Tudo faremos para que possamos voltar ao que vimos até 2019”, sintetizou.

SC/AA

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos