Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Advogados: Ordens de Cabo Verde e de Portugal vão reforçar laços de cooperação na vertente formação

 

Cidade da Praia, 14 Jun (Inforpress) – A bastonária da Ordem dos Advogados de Cabo Verde anunciou hoje para o mês de Outubro o reforço da cooperação entre as ordens de Cabo Verde e Portugal no domínio de estágio prático para estagiários.

Sofia de Oliveira Lima, que falava à imprensa à margem da conferência subordinada ao tema “A advocacia como pressuposto fundamental da justiça”, proferida pelo bastonário da Ordem dos Advogados de Portugal, disse que a vertente formação prática dos advogados estagiário é hoje “essencial para um bom desempenho”.

“Os advogados estagiários têm um novo regime de estágio que inclui aulas práticas, pelo que esta cooperação vai-nos ajudar a cumprir com esta exigência”, lançou a mesma fonte, e permitir, ajuntou, que os advogados mais experientes tenham, também, possibilidade de maior capacitação dos mais antigos na profissão de advocacia.

Isso porque, sublinhou, o Direito está sempre em evolução e num país como Cabo Verde, onde existe “muita carência”, é preciso estabelecer parcerias para que se possa dar “passos práticos” a nível de formação, conferências e outros.

Sofia de Oliveira Lima aproveitou, ainda, para regozijar-se com o “bom senso e o rigor” do Governo em assumir que “nenhum cidadão” ficará sem assistência judiciária.

Para o bastonário da Ordem dos Advogados de Portugal, Guilherme Figueiredo, além da vertente formação, a cooperação entre as duas ordens vai contemplar o intercâmbio cultural, visando potenciar o que são as mais-valias da advocacia.

“Portugal tendo em conta a sua história e o desenvolvimento que tem tido nesta área pode permitir um maior progresso no que respeita a uma participação mais activa em termos práticos dos advogados em Cabo Verde, assim como podemos aprender com os cabo-verdianos”, asseverou.

Guilherme Figueiredo avançou ainda que a visita que realiza ao arquipélago vai ter “consequências práticas” em Outubro.

Asseverou que, tanto para si como para os advogados portugueses, é “muito importante” compreender a realidade do quotidiano do cidadão e dos juristas cabo-verdianos para poder compreender a possibilidade dos países da CPLP poderem potenciar as suas relações para a afirmação dos estados de direito.

O bastonário da Ordem dos Advogados de Portugal vai estar esta quarta-feira, em São Vicente, para proferir a conferência sobre o mesmo tema para os advogados daquela ilha.

PC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos