Administradora-geral da universidade Jean Piaget diz que conjuntura do ensino superior no País “não é fácil” (c/áudio)

Cidade da Praia, 03 Set (Inforpress) – A administradora-geral da universidade Jean Piaget, Rosali Monteiro, disse hoje que a conjuntura do ensino superior em Cabo Verde “não é fácil” e “complicou-se um pouco mais” com a pandemia [da covid-19] ”.

“Nós, por termos, digamos assim, uma estrutura montada (…) com vários laboratórios, temos ainda enfrentado as dificuldades com alguma tranquilidade”, reconheceu, adiantando que a instituição tem alguns projectos, nomeadamente no domínio da prestação de serviços à comunidade e, também, na área da investigação.

A administradora-geral da universidade Jean Piaget fez essas considerações à Inforpress, à margem do acto de acolhimento formal de quatro projectos, de base tecnológica, seleccionados no quadro do concurso Bolsa Cabo Verde Digital.

Segundo ela, a UniPiaget tem diversificado as suas  fontes de financiamento, o que lhe tem permitido manter alguma estabilidade.

Considerou que a situação económico-financeira da universidade se complicou com os sucessivos anos de seca e piorou com a pandemia da covid-19.

Neste momento, comentou, por causa de quatro anos consecutivos sem chover  e a situação agravada ainda mais pela pandemia, os estudantes têm tido “dificuldades em honrar os seus compromissos” no concernente ao pagamento das propinas.

“Temos permitido às famílias  apresentar um plano de pagamento e temos demonstrado alguma compreensão para apoiarmos os nossos alunos”, precisou Rosali Monteiro.

Conforme revelou,  a direcção da universidade já abordou a questão das propinas com o Governo que, segundo ela, se  mostrou “receptivo em apoiar os alunos”, mas ainda aguardam que processo seja concluído.

LC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos