ADEVIC destaca atenção dada para uma maior participação de mulheres e jovens cegos

 

Cidade da Praia, 17 Nov (Inforpress) – O presidente da Associação de Deficientes Visuais de Cabo Verde (ADEVIC), Marciano Monteiro, considerou hoje “relevante” a atenção que se vem dando a participação dos jovens e mulheres com deficiência visual visando o seu empoderamento e participação activa.

O responsável da ADEVIC fez essa consideração no acto de abertura da segunda fase de uma acção de capacitação dos jovens e mulheres cegos, patrocinada pela organização internacional, através da União Africana de Cegos (AFUB).

“É visível que os nossos jovens e mulheres estão a zelar para uma maior capacitação para poderem dar o seu contributo em tudo quanto diz respeito à organização e ao regulamento interno dos departamentos de jovens e mulheres”, disse.

Esta, segundo o presidente da ADEVIC, é mais uma formação que conta com o apoio da organização internacional através da União Africana de Cegos (AFUB) sobre a visão, missão e objectivos das associações no que respeita ao empoderamento das mulheres e jovens cegos.

Para o coordenador do Projecto da União Africana dos Cegos, Lucas Amoda, Cabo Verde é dos poucos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) com exemplos positivos a nível de politicas e de inclusão voltados para as pessoas com deficiência visual e focados no género.

Lucas Amoda, que fala de uma participação activa das mulheres cegas no arquipélago, adiantou que a segunda fase de capacitação visa dar mais instrumentos de trabalho e de decisão aos jovens e mulheres cegos na sua luta pelos direitos dos seus associados nas políticas de género.

Durante a formação de dois dias, sublinhou, serão abordados temas ligados a inclusão das mulheres e jovens cegos, politicas institucionais a nível de inclusão, tudo respeitando a Agenda das Nações Unidas 2030.

Desta forma, serão ainda temas de analise os regulamentos internos a favor dos departamentos, assim como politicas institucionais sobre as mulheres e jovens.

Em Cabo Verde, o Comité das Mulheres assim como a ADEVIC, têm lutado para que se cumpra com os direitos das pessoas portadoras de deficiência visual, assim como medidas de inclusão no que respeita ao género.

A primeira fase de Capacitação de Mulheres e Jovens com Deficiência Visual aconteceu no mês de Maio, na Cidade da Praia, onde participaram também associações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

PC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos