ADEVIC culmina ano lectivo com taxa de 80% de sucesso, mas com os mesmos problemas de sempre

Cidade da Praia, 29 Jul (Infopress) – A Associação dos Deficientes Visuais de Cabo Verde (ADEVIC) culminou o ano lectivo 2018/2019 com uma taxa de sucesso à volta de 80 por cento (%) do pré-escolar ao secundário, mas continua com os mesmos constrangimentos de sempre.

A informação é do presidente da ADEVIC, Marciano Monteiro, em declarações à Inforpress, quando convidado a fazer um balanço sobre o ano lectivo da escola dos cegos “Manuel Júlio”.

“Por aquilo que podemos constatar, o ano lectivo não foi bem o que desejávamos, mas também não foi tão mau, pelo que podemos disser que foi positivo pelos alunos do pré-escolar ao secundário, visto que ainda faltam os resultados dos universitários”, disse.

Marciano Monteiro, que considerou “positivo” o número conseguido na taxa de aprovação, tanto pelos alunos que estudavam na escola da associação como pelos que se encontravam a estudar em diferentes tipos de escola no país, adiantou ainda que a escola continua a enfrentar as mesmas dificuldades.

“Os constrangimentos têm a ver com o pagamento de propinas de alguns alunos da associação que estudam nas universidades, assim como na compra de material didático, visto que a cada dia que passa a associação é confrontada com menos empresas que estão dispostas a ajudar”, realçou.

No país, enfatizou, o material didático para os alunos com deficiência visual é inexistente e quando comprado no exterior tem um preço exorbitante o que dificulta os estudantes e a própria associação em adquirir tais materiais.

A par disso, perspectiva um ano lectivo 2019/2020 com melhores condições e promete continuar a lutar para que, cada vez mais, existam pessoas com deficiência visual a estudar e com sucesso, mas com materiais didáticos adaptados e acesso aos edifícios públicos escolares sem barreiras.

“Para que isso aconteça solicitamos ao Governo que continue a fazer o que pode, pois, sabemos que o país não possui muitas condições, mas é preciso sair da vontade e começar a fazer as coisas”, concluiu.

A Escola “Manuel Júlio” começou a funcionar em 1977, na altura apenas com dois alunos. Foi oficializada em 26 de Junho de 1993, mas enfrenta muitos desafios para a sua modernização visando acompanhar o sistema educativo e servir os membros da ADEVIC.

PC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos