ADAD promove campanha de limpeza para alertar para a quantidade de lixo produzido pelos praienses (c/vídeo)

Cidade da Praia, 17 set (Inforpress) – A ADAD reuniu hoje vários parceiros do município da Praia para uma campanha de limpeza visando alertar para a importância de mantê-lo limpo e onde deixar o lixo para que não prejudique o eco-sistema marinho e terrestre.

A acção, organizada pela Associação para a Defesa do Ambiente e Desenvolvimento (ADAD), em parceria com a Câmara Municipal da Praia, militares, associações comunitárias e jovens da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, concentrou-se este sábado nos vários bairros da capital e zona costeiras onde, segundo o presidente da ADAD, pretendem despertar a população para uma maior consciência ambiental e ajudar na alteração de comportamentos das pessoas face ao lixo e ao meio ambiente.

“Com isso queremos chamar a atenção de toda a população, particularmente, da cidade da Praia, para a limpeza em que uma boa parte do lixo recolhido será aproveitado para reciclagem”, disse, sublinhando que esta acção está enquadrado num projecto de limpar as zonas costeiras da ilha de Santiago.

O projecto, acrescentou Januário Nascimento, vai ter uma duração de dois anos, mas por agora o interesse, frisou, é centrar-se na cidade da Praia que está a viver uma situação “gritante de lixo”.

Januário Nascimento, que falava à Inforpress, alertou ainda para a necessidade de uma maior educação cívica, começando pelo ensino nas escolas do Ensino Básico Obrigatório, visto que o lixo é um perigo para a saúde pública, isso sem descurar da responsabilidade do poder local e governamental.

Focando no lixo, lembrou que o aterro sanitário construído para dar vazão às necessidades da ilha de Santiago, não conseguiu funcionar como tal, continuando a ser utilizado como uma “segunda lixeira”.

A directora de Saneamento da Câmara Municipal da Praia (CMP), Neuza Brito, ao usar da palavra, avançou a existência de uma campanha que irá iniciar nas escolas e que depois abrangerá a população do município da Praia e que tem como propósito alertar as pessoas a ter um maior e melhor cuidado com os resíduos.

“O sistema pertence a todos, pelo que todos devemos dar a nossa contribuição para manter limpo o arredor dos locais onde vivemos. Temos, neste momento, agentes nas comunidades a bater na porta das casas para mostrar-lhes essa responsabilidade e a forma como todos devem participar nesse processo”, disse, lembrando que todos são responsáveis por manter a cidade e as comunidades limpa.

Neuza Brito afirmou ainda que cada um dos praienses produz cerca de 800 grama de lixo por dia, o que corresponde a 180 toneladas de lixo diariamente.

A campanha de limpeza promovida pela Associação para a Defesa do Ambiente e Desenvolvimento (ADAD), em parceria com o Comando da 3 Região Militar, Associações Comunitárias, ONG ambientais, entre outros, insere-se no âmbito do Dia Mundial da Limpeza e visa dar combate ao lixo acumulado nos arredores da cidade da Praia.

O Dia Internacional da Limpeza Costeira, que se assinalou este ano no dia 17, é celebrado, anualmente, no terceiro sábado de Setembro e foi criado pela organização Ocean Conservancy, tem como objectivo promover a protecção dos oceanos, o sistema de sustento à vida do planeta, que representa 70% da extensão da Terra e que alimenta mil milhões de pessoas.

Estima-se que 5 milhões a 12 milhões de toneladas de plástico entopem os oceanos todos os anos, matando mais de 1 milhão de aves marinhas (90% delas come plástico) e mais de 100 mil tartarugas, focas e baleias, para além de um imenso número de peixes.

PC/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos