“Acreditamos que o talento dos jovens está nas universidades” – secretário de Estado

Cidade da Praia, 24 Nov (Inforpress) – O secretário de Estado para a Inovação e Formação Profissional disse hoje que o Governo acredita que o talento dos jovens está nas universidades e que por isso considera-as parceiras essenciais para o desenvolvimento digital de Cabo Verde.

Pedro Lopes falava à imprensa na cidade da Praia momentos depois do encerramento da primeiira edição do “Re!nventa <V Turismo>”, acto em que foram conhecidos os vencedores, aos quais serão atribuídos prémios num valor de 800 mil escudos para o desenvolvimento dos protótipos e deployment da solução no mercado, bem como acesso a um conjunto de incentivos para a concretização do projecto, sendo tecnológicos, empresariais, de visibilidade e acesso à rede global de mentores da Cabo Verde Digital.

“Nós, relativamente às universidades, o que fizemos foi uma parceria para a bolsa Cabo Verde Digital. Ouvimos as universidades, sentimos que elas tinham algumas dificuldades relativamente a conseguir fixar os seus jovens para que depois eles pudessem ter as suas ideias incubadas nas universidades”, afirmou.

Para Pedro Lopes é importante que as universidades em Cabo Verde comecem, cada vez mais, a incubar ideias de negócio.

“Aquilo que fizemos com a bolsa Cabo Verde Digital foi isso. O Governo dá o apoio financeiro para que o jovem, durante seis meses, incube a sua ideia de negócio na universidade, já a universidade, em contrapartida, põe um ‘expertise’ e os seus conhecimentos ao favor do jovem e todo o apoio para que a ideia de negócio de concretize”, acrescentou.

Prosseguindo, o governante disse o executivo acredita que o talento dos jovens está nas universidades e que também estas serão parceiras essenciais para o desenvolvimento do digital em Cabo Verde.

Instado a comentar sobre a importância que as novas tecnologias tiveram e estão a ter neste período de pandemia, Pedro Lopes afirmou que se verificou em Cabo Verde que as empresas adoptaram o trabalho remoto e que todos começaram a utilizar plataformas como Zoom, naquilo que foi uma “transformação digital forçada”.

“E mostra exactamente que este é o caminho para que nós sejamos mais eficientes, para que a inteligência colectiva possa estar ao serviço também das empresas mesmo que os seus colaboradores não estejam no local de trabalho”, acrescentou.

E como mundo não pode parar, Pedro Lopes ressaltou que a pandemia mostrou que há de se continuar a trabalhar, a dar o contributo para os governos e empresas para que, através do digital, se consiga tirar o máximo proveito do digital.

“Mostra que há uma necessidade que hoje quem pensa o seu negócio, pense sempre também como é que a inovação e como é que o digital vai estar presente no seu negócio”, finalizou.

GSF/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos