Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

ACL deve ter uma “relação de excelência” com a Biblioteca Nacional – ministro da Cultura

Cidade da Praia, 10 Jul (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústria Criativas, Abraão Vicente, defendeu hoje, na Cidade da Praia, que a Academia Cabo-verdiana de Letras (ACL) deve ter uma “relação de excelência” com a Biblioteca Nacional (BN).

Em declarações à imprensa, depois de um encontro com a nova direcção da ACL, presidida por Daniel Medina, o governante prometeu maior engajamento do Governo, primeiramente a nível da BN, na cedência do espaço e no trabalho dos espólios de escritores renomados.

Apontou ainda uma futura parceria com o festival Morabeza, nas edições de revistas e livros, na perspectiva de promoção dos novos talentos, dos clássicos e na reedição dos livros.

“A parceria tem que ser muito além do processo de financiamento (…) o Estado tem recursos disponíveis, o mais importante é criar processos que perdurem no tempo”, explicou.

Para o ministro da Cultura e das Indústria Criativas, é neste sentido que vai ser revisto o protocolo com a anterior direcção do ACL para se definir novos procedimentos de financiamento.

Por sua vez, o presidente da ACL, Daniel Medina, disse que o Governo demonstrou abertura nos propósitos da academia que, segundo ele, se tange na divulgação da cultura e da literatura cabo-verdiana.

Em relação à revisão do protocolo entre o Governo e a instituição adiantou que está ciente dos cortes do Orçamento do Estado para o Ministério da Cultura, mas disse estar “convicto” da disponibilidade do Governo em apoiar.

A Academia Cabo-verdiana de Letras é uma organização que engloba escritores de destaque e com livros de “maior realce” no país.

Foi fundada pelo poeta Corsino Fortes e, desde então, outras pessoas deram continuidade ao projecto, que actualmente, conta com 40 cadeiras dos chamados “imortais”, que são pessoas que escreveram “coisas tão relevantes” ao ponto de se tornarem imortais, como é o caso de Amílcar Cabral, Eugénio Tavares, Pedro Cardoso, entre outros escritores.

OM/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos