Aceitação de São Nicolau na rede do Festival Sete Sois Sete Luas poderá impulsionar o desencravamento da ilha – edil

Cidade da Praia, 01 Fev (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal de Ribeira Brava de São Nicolau afirmou hoje que a aceitação da ilha na rede do Festival Sete Sois Sete Luas poderá impulsionar o seu desencravamento e promover a divulgação da cultura local.

Pedro Morais fez esta declaração em entrevista à Inforpress, no âmbito da apresentação da candidatura da ilha do “Chiquinho” para integrar a rede do Festival Sete Sois Sete Luas, tendo afirmado que São Nicolau, no geral, e Ribeira Brava, em particular, têm uma forte componente cultural, desde o Carnaval às festas genuínas, religiosas e culturais, que precisam ser divulgadas.

“Na primeira conversa que tivemos, vamos estudar a hipótese de entramos nessa rede porque entendemos que é uma proposta de projecto interessante de fazer chegar ao mundo as imagens da ilha de São Nicolau e do município de Ribeira Brava e precisamos desta mãozinha e de outros espaços para fazer levar também para estes espaços artistas de São Nicolau para divulgar a nossa cultura”, declarou.

No seu entender, através do Festival Sete Sois Sete Luas, será possível levar para o município autores e grandes executantes da música, anunciando que a edilidade pretende criar uma casa de cultura com enfoque para a música, artes plásticas e outras artes que serão implementadas de forma efectiva.

Pedro Morais mostrou-se expectante relativamente à adesão de São Nicolau na referida rede, prometendo que a edilidade “fará de tudo” para introduzir este parâmetro que, na sua opinião, será uma oportunidade para alavancar a ilha que enfrenta dificuldades em termos de acessibilidade de transportes marítimos e aéreos.

“Ribeira Brava é um município que não tem muitos recursos e meios. Então, nessa primeira fase embrionária, eles não estão à espera de um grande valor para entrarmos na organização, embora haja essa necessidade de ter e estruturar o nosso orçamento para darmos oportunidade aos nossos artistas”, realçou, adiantando que o feedback da organização foi positivo e que em breve participarão no encontro internacional, que terá lugar em Madrid, Espanha, para a delineação de estratégias e plano de cooperação.

O Festival Sete Sóis Sete Luas é uma rede cultural de 30 cidades, de 11 países, que privilegiam “relações vivas e directas” com os pequenos centros e os artistas, uma viagem pelo mundo Mediterrâneo e pelo mundo lusófono, onde os artistas, os operadores culturais e os espectadores participam nas acções de mobilidade internacional.

Desde 2014, com o apoio da União Europeia, um “mais novo e ambicioso passo” foi dado com a criação dos Centrum Sete Sóis Sete Luas em vários municípios, albergando salas de exposições, restaurantes, lojas de produtos de artesanato e pátios culturais, mas, sobretudo, uma variedade de actividades culturais.

Cabo Verde alberga de momento cinco Centrum SSSL, nas ilhas Brava e Maio, nos municípios da Ribeira Grande de Santo Antão, São Filipe, na ilha do Fogo e no Tarrafal de Santiago.

CM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos