Académico recomenda que as propostas políticas sejam definidas e adoptadas com base nos estudos

Cidade da Praia, 21 Jul (Inforpress) – O historiador e teólogo cabo-verdiano Jairzinho Pereira recomendou hoje, durante a jornada aberta do Movimento para a Democracia (MpD), que as propostas políticas sejam definidas e adoptadas com base nos estudos.

Jairzinho Pereira que na qualidade de académico foi um dos convidados do grupo parlamentar do MpD para dissertar sobre o tema “Discernimento e prioridades políticas em termos de incertezas”, salientou que o estudo metódico e a ponderação tornarão as propostas políticas mais consistentes, realistas e mais adequadas às realidades.

“Por exemplo, se olharmos para as alterações, as metamorfoses geopolíticas e políticas que estão a correr um pouco por todo o mundo, sobretudo no ocidente, convém estudar essas metamorfoses para podermos formular propostas políticas factíveis”, disse.

Jairzinho Pereira que é mestre em ciências políticas e doutor em teologia sistemática, vê com bons olhos que uma corporação política esteja interessada em ouvir os académicos ou membros da sociedade civil.

“O discurso político e o discurso académico nem sempre estão em harmonia, mas eu acho que o discurso político informado e consubstanciado na academia tende a ser mais razoável”, sustentou.

Cita como exemplo a guerra na Europa, indicando que para um bom posicionamento e políticas alinhadas as “corporações políticas” têm necessariamente de acompanhar o desenvolvimento da situação, estar a par das posições das partes envolvidas e da comunidade internacional e alinhar o seu discurso com as correntes que se enquadram dentro da própria retórica e da prática das próprias corporações.

“Estou a falar, sobretudo, na ponderação, no estudo. Por exemplo, conhecer as evoluções históricas, os resultados, conhecer as realidades do passado que nos permitem analisar os eventos”, disse.

“Por exemplo conhecendo a história da guerra fria ou a própria história da segunda guerra mundial e da própria formação da comunidade europeia que é a ancestral do que é hoje a União Europeia dá para perceber muito o que está a passar hoje em dia”, anotou.

Jairzinho Pereira esteve acompanhado no painel por Ricardo Fidalgo que apresentou o tema “Transformar para enfrentar o futuro”.

A Jornada Aberta com o tema “Mitigar, recuperar e Transformar” está enquadrada nos preparativos para o debate sobre o Estado da Nação, que terá lugar na próxima semana, na Assembleia Nacional. O vice-líder do grupo parlamentar do MpD, Luís Carlos Silva, disse que durante o debate o partido que sustenta o Governo vai apresentar um país que está a enfrentar uma sequência de crise e que está numa estratégia de mitigação, mas também numa estratégia de adaptação e transformação para o futuro.

“Nós pensamos que o Governo tem dentro dos limites do possível feito um trabalho muito relevante na perspectiva de proteger o país, proteger as pessoas do impacto da crise que estamos a enfrentar. Saiu a público a notícia de que a factura da energia do país nos primeiros quatros meses aumentou 70%. O país claramente não sentiu esses 70% porque o Governo criou medidas e mecanismos de protecção do país”, exemplificou.

MJB/ZS

Inforpress/fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos