Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Abuso sexual de crianças merece uma especial atenção na sociedade cabo-verdiana – Clara Marques

Cidade da Praia, 18 Nov (Inforpress) – A presidente da Associação para Promoção do Património Educacional de Cabo Verde (APPECV), Clara Marques, afirmou hoje que o abuso sexual de crianças, o uso abusivo do álcool e outras drogas devem merecer uma “especial atenção” na sociedade.

Clara Marques fez este alerta à Inforpress, no âmbito do Dia Internacional da Declaração dos Direitos das Crianças, em que a APPECV e a Comissão Executiva do Museu de Educação promoveram uma mesa-redonda, para alunos do 11º ano de escolas secundárias para debater questões ligadas a essa problemática.

Para a presidente da APPECV, o principal objectivo do debate é assinalar o Dia Internacional da Declaração dos Direitos das Crianças que foi proclamada pela Convenção das Nações Unidas, em 1959.

Na sua perspectiva, a essência é chamar atenção às autoridades no sentido de continuarem a promover as políticas públicas para o bem-estar das crianças de Cabo Verde.

“O abuso sexual de crianças e o uso abusivo do álcool e outras drogas são duas situações que afligem a nossa sociedade, porque afectam muitas famílias, crianças e adolescentes”, explicou.

No seu entender, a protecção e a promoção dos direitos das crianças, enquanto seres mais vulneráveis da sociedade cabo-verdiana, deve ser sempre uma prioridade nacional, daí o envolvimento de todos para que as mesmas possam dispor das condições básicas para se desenvolverem e darem o melhor contributo à sociedade.

“Também vamos falar de um conjunto de princípios sobre o direito das crianças, as violações que estão acontecendo no País a nível físico, psicológico, emocional e sexual”, afirmou aquela responsável.

Por outro lado, Clara Marques defendeu a necessidade de se responsabilizar um pouco as famílias no sentido de tomarem conta dos seus filhos, “porque a primeira responsável é a família e só depois que vem a escola”.

A mesma fonte defende uma “atenção especial” às crianças que vivem com apenas um dos pais, sendo que geralmente são famílias monoparentais chefiadas por mulheres, assim como as que são portadoras de deficiência, particularmente as que condicionam o seu acesso à educação e limitam a sua interacção social.

O País faz parte também dos signatários da Carta Africana dos Direitos e Bem-Estar da Criança e da Declaração Mundial sobre a Sobrevivência, Proteção e Desenvolvimento da Criança.

Anualmente, a 20 de Novembro, celebra-se o “Dia Mundial da Criança”, data que assinala a adopção da Convenção dos Direitos da Criança (CDC) das Nações Unidas, um instrumento de direitos humanos que contribuiu para o registo de avanços substanciais e mensuráveis na sobrevivência e desenvolvimento da criança, aumento da consciencialização e adopção de medidas e soluções de protecção da criança, para além da promoção da participação da criança como um direito fundamental consagrado na Convenção.

AT/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos