Aberto concurso para atribuição de bolsas nas áreas de música e artes cénicas aos artistas dos PALOP e Timor-Leste

Cidade da Praia, 03 Jun (Inforpress) – O Instituto Camões informou hoje que tem aberto, até 30 de Setembro, o concurso para atribuição de bolsas a artistas dos PALOP e Timor-Leste para frequência de residências artísticas nas áreas da música e artes cénicas.

Em comunicado, a mesma fonte referiu que a actividade enquadra-se no âmbito do projecto da União Europeia PROCULTURA PALOP-TL, através da parceria entre Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, IP e a Fundação Calouste Gulbenkian.

Essas duas instituições atribuirão bolsas de viagem a artistas nacionais dos PALOP ou de Timor-Leste, e aí residentes, nas áreas da Música e das Artes Cénicas nomeadamente, teatro, dança, artes circenses, ópera e canto.

O objectivo desta acção, segundo a nota, visa apoiar a frequência de residências artísticas na Europa, Brasil, Austrália ou países vizinhos dos PALOP e Timor-Leste e, desta forma, apoiar o desenvolvimento do seu trabalho em diálogo com outros contextos de criação contemporânea e incentivar o seu reconhecimento e a sua circulação internacional.

Ainda de acordo com a mesma fonte, as candidaturas decorrem entre 1 de Junho e 30 de Setembro, para realização de residências artísticas em 2020 e 2021, adiantando que os cidadãos interessados poderão consultar o regulamento e os formulários de candidatura através do link: https://gulbenkian.pt/programas/parcerias-desenvolvimento/.

Em 2019, 12 artistas de Angola, Cabo Verde e Moçambique foram seleccionados para a frequência de residências na África do Sul, Brasil, Quénia e Portugal, com apoio do referido projecto.

O PROCULTURA é uma acção financiada pela União Europeia que tem como objectivo contribuir para o aumento do emprego em actividades geradoras de rendimento na economia cultural e criativa nos PALOP e Timor-Leste.

Tem como objectivo contribuir para a criação de emprego em actividades geradoras de rendimento na economia cultural e criativa nos PALOP e em Timor-Leste.

Está enquadrada pelos princípios do Consenso Europeu em matéria de desenvolvimento nomeadamente, pelo reconhecimento de que a cultura favorece «a inclusão social, a liberdade de expressão, a formação da identidade, o empoderamento civil e a prevenção de conflitos» e pela intenção da União Europeia e dos seus Estados membros de fomentar a economia e as políticas culturais quando estas contribuam para alcançar o desenvolvimento sustentável.

CM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos