A problemática da segurança na Cidade da Praia é um assunto “sensível” e “não deve ser partidarizado” – Nelson Centeio

 

Cidade da Praia, 23 Jun (Inforpress) – O presidente Comissão Política Regional de Santiago Sul do PAICV, Nelson Centeio disse hoje que a problemática da segurança na Cidade da Praia é um assunto “sensível”, pelo que “não deve ser partidarizado.

Para Nelson Centeio, o combate à criminalidade no país e na cidade capital, em particular, requer um ““Djunta mó” (solidariedade) por parte da sociedade civil, igrejas e partidos políticos e, sobretudo, do Governo”.

“Todos os actores que têm uma palavra a dizer nesta matéria devem contribuir para se encontrar soluções para o combate à criminalidade, particularmente aqui na Praia, que, infelizmente, tem sido alta, não obstante algumas medidas tomadas”, precisou o líder do PAICV em Santiago Sul, para quem a situação da insegurança é “preocupante”.

No dizer de Nelson Centeio, é necessário que todos contribuam para uma “Praia segura e cada vez mais atractiva para investimentos, com vista a um desenvolvimento harmonioso”.

“Infelizmente, temos constatado que a estrutura urbana da Praia não favorece desenvolvimento e um clima de paz, sobretudos nos bairros mais problemáticos”, lamentou este responsável do PAICV, indicando o desemprego juvenil como uma das causas da delinquência praticada pelos jovens na capital e um pouco por todo o país.

Na sua perspectiva, é necessário que sejam encontradas politicas públicas em ordem a se fazer face à onda de insegurança na Praia, que, diz ele, tem um “rosto essencialmente juvenil”.

Instado se a delinquência juvenil tem uma ligação directa ao desemprego, afirmou que não existem estudos, mas que a criminalidade se verifica com maior incidência nos bairros problemáticos onde os jovens não têm como ocupar os tempos livres.

“O Governo não tem encontrado soluções para as promessas feitas em relação aos jovens durante as campanhas eleitorais no sentido de lhes proporcionar uma vida melhor”, realçou Nelson Centeio.

Segundo ele, a urbanização também deve ser “melhorada”, a fim de permitir que os agentes policiais façam um “trabalho eficiente nos bairros”.

O dirigente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde na região de Santiago Sul fez estas considerações em declarações à imprensa hoje, à margem de um encontro que uma delegação deste partido teve com a Associação dos Combatentes da Liberdade da Pátria (ACOLP) onde, entre outros assuntos, foi manifestar a sua “solidariedade” para com o antigo combatente Manuel “Manecas” Santos, detido recentemente pelas autoridades da Guiné-Bissau, para interrogatório.

O veterano da luta armada para a independência da Guiné e Cabo Verde, conforme o seu advogado, Carlos Pinto Pereira, foi libertado no passado dia 20, depois de ouvido pelo Ministério Público, que lhe decretou termo de identidade e residência.

Relativamente ao encontro com os combatentes da liberdade da Pátria, afirmou que, por um lado, quiseram conhecer de perto o trabalho feito pela associação dos veteranos da luta pela independência de Cabo Verde e, por outro, ver a contribuição que poderão dar em prol da Região de Santiago Sul.

Este encontro, segundo Nelson Centeio, inaugura uma série de outros que o partido pretende realizar em Santiago Sul com a sociedade civil, com vista a serem encontrados “pontos convergentes que levem a um desenvolvimento harmonioso” desta região.

LC/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos