Ilha do Sal: Profissionais de diferentes empresas e instituições habilitados com Curso de Director de Segurança Privada

Espargos, 06 Jun (Inforpress) – Um grupo de dez profissionais de diferentes empresas e instituições no Sal terminou hoje o primeiro Curso de Director de Segurança Privada, ministrado pela Empresa Aliance Security, cujo encerramento deverá ter lugar logo à tarde.

O acto de entrega dos certificados aos dez participantes do curso, incluindo ainda, dois candidatos provenientes de São Vicente e São Nicolau, deverá acontecer por volta das 18:00 na Biblioteca Municipal Jorge Barbosa.

O director executivo da Empresa Aliance Security, José Rebelo, explicou que esta acção de formação, o segundo curso de especialidade realizado em Cabo Verde, foi autorizado pelo ministro da Administração Interna, através do Despacho n.o 62/GMAI/202 e efectivado por esta empresa de segurança privada, e no Sal vinha decorrendo desde o dia 09 de Maio e terminado hoje.

Sobre o curso, José Rebelo esclareceu que o diretor de segurança tem por missão assessorar tecnicamente os administradores ou gestores das suas empresas e instituições em matéria de planeamento e gestão de segurança, analisar os riscos, propor medidas técnicas de prevenção e protecção, articular com as forças e serviços de segurança no cumprimento dos deveres especiais que as entidades titulares de alvará ou de licença têm para com o Estado.

Também, supervisionar, avaliar, identificar as necessidades de formação dos assistentes e vigilantes sob sua tutela, elaborar projecto de montagem e gestão de serviços e empresas de segurança privada, bem como, articular com o cliente as medidas legais e aceitáveis, necessárias para um valor a proteger.

“Por excelência, o director de segurança é um mediador do interesse público da prestação dos serviços da salvaguarda dos direitos, liberdades e garantias constitucionais, e um moderador indispensável da qualidade que deve existir no sector”, sublinhou, Rebelo, ajuntando que, uma vez depositados os resultados da formação dos dez candidatos junto da Direcção-Geral da Administração Interna, estarão aptos a praticarem os actos próprios de directores de segurança nas respectivas empresas e entidades.

Explicou ainda que a importância deste especialista é recomendada no quadro de prevenção, segurança, saúde e higiene no trabalho às instituições que possuem mais de 40 colaboradores, para efeito de planeamento e gestão de prevenção e situação de emergências, pelo que os conhecimentos adquiridos ao longo do curso é uma ferramenta cujo uso deve ser aprimorado, permanente, no dia-a-dia.

“O director de segurança privada é um especialista de vigilância, previsto na Lei 50/VII/2009 de 31 de Dezembro, sendo obrigado a tempo inteiro, às entidades prestadoras de serviço de segurança privada que possuem mais de 100 vigilantes, e a tempo parcial, cumulativamente com outras funções na empresa, àquelas que possuem entre 50 e 100 assistentes”, concluiu José Rebelo.

SC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos