Coreia do Norte: Seul confiante que novas sanções vão forçar Pyongyang a negociar

 

Seul, 27 Set (Inforpress) – O Governo sul-coreano manifestou hoje satisfação com as novas sanções impostas pelos Estados Unidos à Coreia do Norte, que Seul acredita contribuírem para Pyongyang decidir discutir o seu programa nuclear.

O Departamento do Tesouro norte-americano aprovou na terça-feira a imposição de sanções a oito bancos norte-coreanos e a 26 representantes financeiros que trabalham em diversos países.

“Espera-se que esta última acção ajude a alertar indivíduos e entidades em países terceiros que façam negócios com a Coreia do Norte do perigo que correm”, disse um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Seul, em declarações à agência Yonhap.

“Esperamos que [as sanções] contribuam para fortalecer a determinação da comunidade internacional em implementar as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas e que esta pressão leve a Coreia do Norte à mesa de negociação”, acrescentou o porta-voz.

As sanções de Washington são o último pacote de uma série de penalizações aprovadas unilateralmente este ano como punição pelos contínuos testes de armamento de Pyongyang, incluindo um teste nuclear no passado dia 03 de Setembro.

Devido a este teste, o Conselho de Segurança da ONU também aprovou uma resolução este ano que limita as exportações de petróleo para o país.

Entre as entidades sancionadas por Washington estão o Banco de Comércio Exterior e o Banco Central da República Popular Democrática da Coreia, bem como o Banco de Desenvolvimento Agrícola e o de Desenvolvimento Industrial Internacional.

Foram também afectados representantes financeiros internacionais da Coreia do Norte na China, Rússia, Líbia e Emirados Árabes Unidos.

Isto significam que os activos que estas entidades possam ter sob jurisdição norte-americana ficam congelados e torna-se proibido realizar transacções financeiras com elas.

Lusa/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos