Fogo: Governo ultima documentos do concurso para construção da nova adega definitiva – Gilberto Silva

 

São Filipe, 24 Jul (Inforpress) – O Governo, através da cooperação com as Ilhas Canárias (Tenerife), está a ultimar os documentos do concurso para a construção da nova adega definitiva de Chã das Caldeiras com capacidade para transformar 750 toneladas de uvas por ano.

A informação foi revelada pelo ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, que no passado dia 21 de Julho visitou adega provisoria Chã que há sensivelmente um mês iniciou as vindimas deste ano.

A adega provisória vai ter capacidade para receber toda a produção deste ano, que ultrapassa a de 2014, o ano de maior produção e que ultrapassou as 200 toneladas de uvas transformadas, dados que foram revelados ao titular da pasta da Agricultura pelo presidente da cooperativa.

“É bom constatar que o investimento feito na adega provisória serve para a vindima deste ano” afirma Gilberto Silva que no quadro da cooperação com Cabildo de Tenerife, Ilhas Canárias, o projecto da nova adega está concluído e na fase de lançamento de concurso para a sua construção, acrescentando que a adega  provisória serve a economia vitivinícola da ilha até a construção da nova adega.

A adega provisoria representante um investimento na ordem dos 12 mil contos, de entre equipamentos e toda a construção.

A nova unidade industrial vai situar-se no interior da Caldeira, no espaço conhecido como “Cabo Nho Ernesto”, entre Boca Fonte e Portela, localizado a 47 metros a cima do nível das lavas da última erupção vulcânica, sendo que este espaço foi selecionado entre quatro pontos indicados devido a facilidade na acessibilidade, segurança, acesso a água e impacto ambiental.

A adega definitiva é um edifício de dois pisos, ocupa uma área de oito mil metros quadrados, com zonas de envelhecimento de vinho com capacidade para até 30 mil litros, zona para processamento, recepção da matéria-prima, de engarrafamento devidamente equipado e com autonomia no seu funcionamento, área para destilação, além de um espaço anexo para transformação de frutas com capacidade para 200 toneladas/ano, serviço de restauração, área administrativa e para reunião, de entre outros.

A nova adega, construção e equipamento representa um investimento de 310 mil contos, dos quais o Governo já tem mobilizado 80 mil contos para a construção e equipamento da primeira fase, cujo processo de edificação deverá acontecer antes do final deste ano.

JR

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos