Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

ICCA admite que Santo Antão tem sido “bastante falado” em relação à problemática de abuso sexual de menores 

Porto Novo, 29 Jul  (Inforpress) – Santo Antão está a ser “bastante mediático” em relação à problemática do abuso sexual de menores, mas o número de casos está a diminuir nesta ilha, em comparação com o ano anterior.

Quem o reconhece é a delegada do Instituto  Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA) em Santo Antão, Earsénia Nico, para quem esta “ilha tem sido, ultimamente, muito falada”  com denúncias de casos de abuso sexual de menores, facto que demonstra, a seu ver, a “indignação” das pessoas quanto à esta problemática.

“Realmente, a ilha de Santo Antão tem sido bastante mediática em relação à denúncia de casos de abuso sexual de menores, que têm vindo a acontecer, mas, em relação ao ano anterior, tivemos este ano menos casos”, sublinhou.

Earsénia Nico falava a propósito de uma manifestação ocorrida, esta terça-feira, na cidade do Porto Novo, organizada pela associação Pares Educadores, para sensibilizar a sociedade porto-novense para a necessidade de se combater este  problema.

O ICCA, segundo a responsável, congratula-se com o facto de as pessoas estarem a denunciar os casos de violação dos direitos das crianças, designadamente, quando se trata de casos de abuso sexual de menores, o que revela que os cidadãos estão “indignados” com essa situação.

A passeata, conforme a mesma fonte, demonstrou que os porto-novenses estão dispostos a ajudar as autoridades a combater a problemática do abuso sexual de menores, mas também estão comprometidos com a promoção dos direitos das crianças.

A professora Joanita Fernandes, representante da associação Pares Educadores, que está, desde 2018, a desenvolver projectos que abordam diversos problemas que afectam as crianças no ambiente escolar, admite os pais estão “muito preocupados” com esta realidade, daí a realização da marcha que contou com a presença de alunos, professores e pais.

Pares Educadores tem como parceiros a Câmara Municipal do Porto Novo, a delegação do Ministério da Educação Porto Novo, o ICCA, a Polícia Nacional e o grupo teatral Juventude em Marcha.

JM/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos