20 anos do CEC-CV: “Estamos felizes pelo percurso feito”, Chefe Nacional

Cidade da Praia, 30 Nov (Inforpress) – A chefe Nacional do Corpo de Escutismo Católico Cabo-Verdiano (CEC-CV), Zezinha Alfama, disse hoje que os membros daquela organização estão “felizes” pelo percurso feito ao longo destes 20 anos de existência, hoje comemorado.

“Estamos felizes pelo percurso feito. O CEC-CV tem crescido. Hoje somos mais de três mil escuteiros, a nível nacional, com a excepção ainda de São Nicolau e Brava, mas é nossa intenção chegar lá. É uma grande prioridade, a expansão do Corpo Escutismo Católico para as ilhas do Barlavento, na Diocese do Mindelo”, referiu.

Zezinha Alfama precisou que a organização católica tem, neste momento, na sua base de dados, 294 dirigentes já investidos e mais de uma centena de caminheiros em formação, pelo que estarão a volta de quatro centenas de dirigentes. Isso além de 63 agrupamentos.

Ainda nas suas declarações, a responsável ressaltou que o CEC-CV “tem sido e continuará sendo, de certeza, uma associação credível, útil e amiga da criança e do adolescente”.

“Por isso, é que hoje assinamos o protocolo com o Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA), no sentido de reforçamos a capacitação dos nossos dirigentes, trabalhando sempre em prol da criança e do adolescente, fazendo com que o CEC-CV seja sempre um movimento seguro”, continuou.

Zezinha Alfama acrescentou ainda que a organização dá sempre aos pais e à comunidade em geral a imagem e a certeza de ser uma associação que aposta na protecção da criança e do adolescente, cujos chefes são os primeiros agentes da protecção da criança e do adolescente em Cabo Verde.

“Há muitos sonhos: estamos a trabalhar para termos mais ferramentas pedagógicas. Vamos ter o manual do dirigente e vamos ter manuais para os escuteiros em geral. O osso sonho é continuarmos a crescer, trabalhar a internacionalização também do CEC-CV e reforçarmos esse intercâmbio com os escuteiros em geral”, acrescentou.

Quanto aos desafios, Zezinha Alfama referiu que estes estão sempre associados à capacitação dos dirigentes.

“Qualquer dirigente que esteja em qualquer parte de Cabo Verde ou do mundo é a imagem do CEC-CV. A prioridade sempre será capacitar”, pontuou.

Zezinha Alfama afirmou ainda que a nova equipa, eleita em Novembro de 2019, escolheu como prioridade o reforço institucional.

Por isso, disse, estão a trabalhar, sobretudo, a questão da sua base de dados para terem sempre dados fiáveis e sempre em mão.

“Estamos a uniformizar os procedimentos, a trabalhar o nosso primeiro plano educativo, que para nós sempre constitui um desafio e acho que demos um grande passo neste sentido. Esse esforço também de trabalharmos um novo pilar que foi incluído há poucos anos na metodologia escutista, que é a dimensão comunitária do escutismo”, continuou.

Para isso, defende Zezinha Alfama, a associação terá que ter os dirigentes devidamente capacitados e sempre dispostos e também a assumirem que o voluntariado exige um “compromisso firme” com a organização.

GSF/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos